segunda-feira, 15 de março de 2010

ABORTO, O HOLOCAUSTO SILENCIOSO

Cerca de 50 milhões de crianças em gestação são abortadas por ano, no mundo! 126 mil por dia! "78% dos abortos são realizados em países em desenvolvimento e os restantes 22% em países desenvolvidos". Veja abaixo o impactante testemunho de uma jovem que sobreviveu ao holocausto silencioso e tem sido uma voz internacionalmente reconhecida na denúncia de um dos mais graves genocídios da história da humanidade. E, na sequência, uma pesquisa sobre as graves, trágicas e traumáticas consequüências do aborto.

          No dia 8 de setembro de 2008 a jovem Gianna Jessen testemunhou o milagre de sua sobrevivência. O Queen's Hall, em Melbourne estava repleto e ela começou a falar: - "Eu sou adotada, e minha mãe biológica tinha 17 anos assim como meu pai biológico. Eu tinha 7 meses e meio de gravidez quando ela decidiu ir para a Planned Parenthood, que é a maior rede de clínicas de aborto do mundo e eles a aconselharam a ter um aborto de final de gestação, através de envenamento salino, que é uma solução salina que é injetada no útero da mãe. O bebê engole essa solução, ela queima o bebê por dentro e por fora e ela faz expelir o bebê dentro de 24 horas. E para a grande e chocante surpresa de todos eu não sai morta, mas viva, dia 6 de abril de 1977 em uma clínica de aborto em Los Angeles. O que é fantástico nisso, sobre a hora perfeita de minha chegada é que o abortista ainda não estava no trabalho então ele sequer teve a oportunidade de continuar com seu plano para a mina vida, que era a morte. E eu sei que estou em um prédio público, por sinal muito bonito e eu amo seu país, assim como amo o meu próprio. Mas sei que vivemos não é,
de modo algum, politicamente correto! Dizer o nome de Jesus Cristo em lugares como esse, trazê-lo para esses tipos de reuniões, porque seu nome pode fazer as pessoas se sentirem terrivelmente desconfortáveis. Mas eu não sobrevivi para fazer todo mundo se sentir confortável. Eu sobrevivi para mexer um pouco com as coisas e eu gosto muito de fazer isso. Então eu nasci viva, como já disse depois de 18 horas. Eu deveria estar cega, eu devia estar queimada, eu devia estar morta. Mas eu não estou! Sabem qual foi o fantástico reconhecimento disso? O fato de que o abortista teve que assinar minha certidão de nascimento. Meu presidente Bush... Eu sei quem ele é. E nos meus registros médicos também diz, para qualquer cético ver: 'Nascida durante aborto por envenenamento salino'. Há! Eles não venceram!
Fiz algumas pesquisas sobre o homem que fez o aborto em mim. E suas clínicas formam a maior rede de clínicas nos Estados Unidos Eles faturam 70 milhões de dólares por ano. Eu o vi dizer, eu li uma citação dele. Há algum tempo, anos atrás, e ele disse: 'Eu abortei cerca de um milhão de bebês e considero isso minha paixão'!
Eu falo essas coisas, porque, escutem, senhoras e senhores. Estamos em uma guerra interessante, quer percebamos ou não, nesse mundo. É uma batalha entre a vida e a morte! De que lado vocês estão?Então uma enfermeira chamou uma ambulância e me transferiu para um hospital, o que é absolutamente milagroso! Geralmente a prática na época, até 2002, em meu país, era terminar com a vida de um sobrevivente do aborto, por estrangulação, sufocamento, deixando o bebe morrer ou jogando o bebê fora! Mas em 5 de agosto de 2002, meu extraordinário presidente Bush assinou a lei, o Ato de Proteção da Criança nascida Viva para que isso não ocorresse mais! Vocês vêem! Estamos falando de coisas sérias, estamos falando... Eu quero dizer, eu estou esperando ser odiada até a hora da minha morte, para que eu possa sentir Deus e entender p que foi ser odiada! Eu quero dizer, Ele foi odiado, Cristo foi odiado! E não
é que eu queira ser odiada, mas eu sei da minha jornada, eu sei que já sou odiada porque eu declaro a vida! E eu digo:
Vocês não me pegaram, o holocausto silencioso não venceu sobre mim! E a minha missão, senhoras e senhores, entre muitas coisas, é essa: Infundir a humanidade em um debate que simplesmente compartimentalizamos e colocamos de lado e dizemos que é só um "assunto". Nós removemos nossas emoções, nos tornamos "duros".
Vocês realmente querem isso? O quanto vocês estão dispostos a lutar e o quanto estão dispostos a arriscar para falar a verdade no amor e cordialmente, e ficar de pé e ao menos estar disposto a ser odiado. Ou será que o final do dia tudo diz respeito só a você? Ou a mim? E então, depois disso eu fui colocada em uma creche para adoção de emergência onde eles decidiram que não gostavam muito de mim. E como digo, carinhosamente, eu não sei como vocês podiam não me amar desde o começo! O que tinha de errado com essas pessoas?Mas eles não gostavam de mim. Vocês vêem como eu fui odiada desde a concepção por tantos e amada por muitos, mas especialmente por Deus. Eu sou a menina dele! Você não brinca com a menina de Deus.
Eu tenho um aviso na minha testa que diz: "É melhor você ser legal comigo, porque meu Pai governa o mundo". Então, depois, eu fui colocada na casa provisória, fui tirada de lá e colocada em outra casa, uma linda casa, a casa de Penny. Ela disse que nessa época eu tinha 17 meses, pesada 14 quilos e diagnosticada com o que eu considero ser o dom da paralisia cerebral, que foi causada diretamente pela falta de oxigênio no meu cérebro quando eu estava tentando sobreviver.
Agora, eu me sinto simplesmente compelida a dizer isso: Se o aborto diz respeito somente aos direitos da mulher, senhoras e senhores, então, quais são os meus direitos? Não tinham nenhuma feminista radical gritando e reclamando meus direitos violados naquele dia. Na verdade minha vida estava sendo exterminada em nome dos direitos das mulheres. E, senhoras e senhores, eu não teria paralisia cerebral se não tivesse sobrevivido a tudo isso! Então, quando escuto o argumento horroroso e nojento de que temos que abortar só porque há possibilidade da criança nascer com deficiência, óh! O horror que toma conta do meu coração!
Senhoras e senhores há coisas que vocês só poderão aprender com os mais fracos de nós. E quando vocês os matam, são vocês que perdem! O Senhor olha por eles, mas serão vocês que sofrerão para sempre. E que arrogância! Que absoluta arrogância! E tem um argumento por tanto tempo nesse lugar humano em que vivemos, que o mais forte deve dominar o mais fraco deve determinar quem vive ou morre. A arrogância disse! Vocês não percebem que não podem fazer o próprio coração bater? Vocês não percebem que todo o poder que pensam possuir na verdade não possuem nenhum! É a misericórdia de Deus que os mantém mesmo quando vocês o odeiam! (transcrição da primeira parte)

ABORTO, HOLOCAUSTO SILENCIOSO

Hitler e o exército nazista, que matou cerca de 6 milhões de pessoas no chamado holocausto da 2ª guerra mundial poderia parecer uma criança cheia de ódio e rancor - perto dos profissionais do HOLOCAUSTO SILENCIOSO dos nossos dias. Cerca de 50 milhões de crianças não nascidas são abortadas por ano, no mundo - 126 mil por dia! "78% dos abortos são realizados em países em desenvolvimento e os restantes 22% em países desenvolvidos".

LEGAL EM MUITOS PAISES,  MAS IMORAL

Aproximadamente 97 países, com cerca de 66% da população mundial, têm leis que em essência permitem o aborto induzido. Noventa e três países, com cerca de 34% da população, proíbem o aborto ou permitem o aborto apenas em situações especiais como deformações do feto, violações ou risco de vida para a mãe. Todos os anos cerca de 26 milhões de mulheres realizam abortos legais, enquanto que 20 milhões de abortos são realizados em países onde esta prática é restringida ou proibida por lei.
Nos EUA são realizados cerca de 3.700 abortos por dia! Naquele país 52% das mulheres tem idade inferior a 25 anos mulheres com idades entre 20 e 24 contabilizam 32% da totalidade de abortos; 20% são adolescentes sendo 1,2% raparigas com menos de 15 anos. A maioria (64,4%) dos abortos são atribuídos a mulheres que nunca se casaram as mulheres casadas contabilizam 18,4% de todos os abortos e as divorciadas 9,4% .  No Brasil, a segundo a ANDI (Agência de Notícia dos Direitos da Infância), "a cada dia cerca de 140 meninas têm a gravidez interrompida. A cada hora, seis adolescentes entram em processo de abortamento".  No Brasil apesar a pressão feminista e de grupos politicos interesseiramente ligados a movimentos pró-descriminalização da prática, a prática é legal. As igrejas cristãs condenam publicamente o aborto como crime lesa-humanidade.

MÉTODO MAIS COMUM PARA
PROVOCAR A MORTE POR ABORTO

A prostaglandina é uma hormona que induz o trabalho de parto prematuro (também conhecida como misoprostol). É ministrada sob a forma de supositórios ou injecção no músculo uterino, causando uma reacção violenta. O feto morre geralmente por causa do trauma do nascimento. No entanto, se o feto tiver idade suficiente para aguentar o processo,
nasce vivo (freqüente). Esta ocorrência é designada de “complicação” nas descrições técnicas deste método. Para evitar que tal aconteça, os executantes do aborto utilizam ecografias para se guiarem no processo de injeção de um “fetícida” (uma droga que mata o feto) no coração do feto, quando este ainda está dentro da barriga da mãe.
Administram em seguida a prostaglandina à mãe que dá à luz o feto morto. Este tipo de aborto é praticado em casos de gravidez avançada.
Outro método, com o feto na idade de cerca de 12 semanas, o colo do útero tem de ser dilatado antes do aborto propriamente dito. Geralmente são introduzidas lâminas rígidas designadas de laminárias (feitas a partir de material desidratado, geralmente algas marinhas esterilizadas comprimidas em lâminas grossas) no colo do útero no dia anterior ao aborto induzido. Após serem introduzidas, estas lâminas absorvem humidade e expandem aumentando o seu tamanho várias vezes, dilatando assim o colo do útero. Um instrumento semelhante a um alicate é então inserido através do colo do útero até ao útero. A pessoa que realiza o aborto tenta apanhar uma perna, braço ou outra qualquer parte do corpo do feto, e num movimento rotativo arranca-o do corpo. Este procedimento de desmembramento
desenrola-se até só ficar a cabeça do feto. Finalmente a cabeça é esmagada e puxada para fora. A pessoa que executa o aborto, ou algum ajudante (geralmente o/a enfermeiro/a), tem que depois voltar a juntar todas as partes do corpo do feto para se certificar que foi removido na sua totalidade.Utilizado após as 12 semanas, este método é idêntico ao D&C, excepto neste caso são utilizados fórceps [instrumento composto por dois ramos articulados utilizado para extrair o feto do útero] para torcer e despedaçar o corpo do feto que já apresenta nesta altura ossos calcificados.

TRAUMAS FÍSICOS, PSICOLÓGICOS E ESPIRITUAIS

Grande parte das mulheres que se submetem ou são pressionadas ao aborto sofrem traumas como: Stresse, Depressão, Ansiedade, Tentativas de suicídio, Disfunção sexual, Consumo de tabaco, álcool e drogas, Desordens alimentares, Repetição de abortos, Divórcios e problemas crônicos de relacionamento.
CONSEQUENCIAS FISICAS: Estudos sobre as seqüelas físicas do aborto na mulher diagnosticam: Morte de mulheres, Infecções, Hemorragias, Coágulos de sangue, Cancro da mama, Cancro cervical, dos ovários e do fígado, Perfurações uterinas, Lacerações cervicais, Placenta prévia, Complicações na gravidez, Gravidez ectópica Incompetência cervical, Doença pélvica inflamatória, Endometrite.

"NÃO MATARÁS"

Enquanto a indústria do entretenimento incentiva relacionamentos sexuais cada vez mais precoces (livros, cinema, internet, revistas, etc.) e a liberdade [na verdade a licenciosidade] colocada como padrão supremo a ser almejado pelo ser humano, para sua afirmação como "ser" - as últimas gerações vêm sendo assediadas por um discurso que vulgariza a vida, deprecia a dignidade, despreza a família e atenta contra as nações. Vemos, sob o manto tenebroso do "mercado" surgir indústrias com tamanha sede do lucro que jogam qualquer conceito de ética, civilidade ou bom-senso na lata de lixo da história. Por outro lado observamos crescer as restrições a manifestações cristãs, no mundo, enquanto religiões alternativas, do oriente, são saudadas como opções razoáveis: budismo, hinduísmo, etc.
A filosofia atual, no beco sem saída do ceticismo, não vê sentido na vida humana - e não encontra qualquer superlativo no humano além de energia e átomos em dissolução. Ergueram um altar ao nada - diante disso o que vale é apenas lutar contra a angustia e o desespero fazendo qualquer coisa, sem juízo de valor, moral ou ética. O resultado é o
mundo no qual vivemos, cada vez mais frio, cerebral e sem amor - onde as afeições são substituídas por perversões e o caos é celebrado num altar dantesco onde milhões de não-nascidos são sacrificados, a cada ano.

SITES CONSULTADOS:
http://www.sobreoaborto.info/
http://www.sinaisdostempos.org/aborto/index.html
http://www.providaanapolis.org.br/
http://www.aborto.com.br/
http://www.sinaisdostempos.org/
http://www.aborto.org.br/
http://www.midiaindependente.org/

segunda-feira, 8 de março de 2010

SOBREVIVEU AO ABORTO - Testemunho!

video

DIA INTERNACIONAL DA MULHER - Nosso blog homenageia Gianna Jessen - que sobreviveu ao atentado à sua vida, numa clínica de uma das maiores redes de aborto, nos EUA, quando sua mãe estava grávida de quase 8 meses! Seu testemunho é comovente e corajoso. Coloca por terra o argumento de feministas radicais que consideram que a mulher é "dona de seu corpo" - esquecendo-se que ninguém é dono da VIDA, a não ser Aquele que a criou! A mesma industria suja que incentiva o sexo sem compromisso lucra seus bilhões com a exploração do aborto, quando milhões de seres humanos em formação são sacrificados no altar soberbo de uma humanidade que perde os referenciais cristãos e bíblicos - ficando à merce desses profissionais amparados por leis perversas - impostas à maioria - que contrariam o sagrado direito à vida.